Governo Provincial do Bengo

Perfil da Província

  1. A província do Bengo possui uma população estimada em 356 mil e 641 habitantes, dos quais 177 mil e 949 são do sexo masculino e 178 mil e 992 do sexo feminino, segundo dados definitivos do Censo 2014.

    Segundo os dados do Recenseamento Geral da População e Habitação de Angola, realizado de 16 a 31 de Maio de 2014, a província do Bengo, com 356.641 de habitantes, é a região onde reside menos pessoas no país, contrariamente a capital, Luanda, que congrega o maior número de habitantes com 6 milhões e 945 mil e 386.

    Os dados do Censo demonstram que a maior parte da população da província do Bengo reside em zonas rurais num total de 200.872 habitantes (56,3% da população) contra os 155.768 pessoas (43,7%) que residem em áreas urbanas.

    Na província do Bengo, o município do Dande é o mais populoso com 222.528 habitantes, o que representa 62,0% da população, seguindo-se Nambuangongo com 60.883 habitantes (17,4%). O município de Pango Aluquém é o que menor número de residentes possui com apenas 7.006 habitantes (1,9%).

    Com uma extensão de 33.016 quilómetros quadrados, a província do Bengo tem uma distribuição de 17 pessoas para cada quilómetro quadrado, segundo dados do Censo.

    O município do Dande para além de ser o município com maior número de habitantes é igualmente o município com maior densidade (30 habitantes por quilómetro quadrado), enquanto Ambriz com cerca de seis habitantes por quilómetro quadrado é o que regista a menor densidade populacional da província do Bengo.

    O índice de masculinidade a nível da província situa-se nos 99,6 ou seja, no Bengo existem 98 homens para cada 100 mulheres, o que significa que a população desta região do país é constituída maioritariamente por mulheres.

    A nível de municípios, Pango Aluquém e Ambriz apresentam índices superiores ao da província com 107 e 103 homens para cada 100 mulheres, respectivamente. O município de Bula Atumba regista o índice mais baixo da província (95 homens para cada 100 mulheres).

    O Recenseamento Geral da População e Habitação de Angola é o primeiro depois da Independência Nacional e permitiu apurar que a população residente do país quadruplicou nos últimos 44 anos. O último Censo foi realizado em 1970 e, na altura, apurou 5.646.166 habitantes em Angola.

    Localização

    A Província do Bengo tem os seguintes limites:

    O curso do rio Loge desde a sua foz no Oceano Atlântico até a confluência do rio Lué; o curso do rio Lué, desde a sua confluência no rio Loge até a sua nascente; a linha que une as nascentes dos rios Lué e Suege; o curso do rio Suege ate a confluência com o rio Luica; o curso do rio Luica ate a confluência no rio Dange (ou Dande); o curso do rio Dange (Dande) desde a confluência do rio Luica para montante até a confluência do rio Lufua; o curso do rio Lufua desde a sua confluência no rio Dange (ou Dande) até a confluência do rio Cassenga; o curso do rio Cassenga até a confluência do seu afluente da margem esquerda (linha de água) que tem a nascente da estrada Belém-Aldeia Nova e situada entre a nascente do Luvolo e as dependências da roça Senhora Graça; o curso deste rio (linha de água) ate a nascente; a linha que une a nascente do afluente do Cassenga acima referido (linha de água) a nascente do rio Luvolo (ramo mais a Norte); o curso do rio Luvolo ate a confluência no rio Lombige; o curso do rio Lombige ate a sua confluência no rio Zenza; o curso do rio Zenza para juzante ate a sua confluência na albufeira da Quiminha no rio Bengo (ou Zenza); o curso deste rio para juzante ate a sua foz no Oceano Atlântico; a costa do Oceano Atlântico para Norte ate a foz do rio Loge no Oceano Atlântico.

    O limite Sul do Município do Dande segue o curso do rio Bengo desde a sua confluência na Albufeira da Quiminha para juzante, até a sua foz no Oceano Atlântico.

    Resultante da nova divisão administrativa, a Província do Bengo com sede na Cidade de Caxito, é constituída por (6) seis Municípios, nomeadamente, Ambriz, Bula Atumba, Dande, Dembos, Nambuangongo e Pango-Aluquém.

    Clima

    Tal como a maior parte do território angolano, o clima no Bengo engloba-se na cintura tropical, semiseco. Existem duas estações climatéricas durante o ano: período seco e o período das chuvas, com relativas temperaturas anuais e mensais elevadas.

    Os valores mais expressivos das temperaturas situam-se entre 22-32ºC

    A estação seca, também chamada de Cacimbo abrange os meses de Maio até Agosto, e quase não se regista qualquer precipitação.

    A precipitação média anual fixa-se entre 600-900 mm/ano com a humidade relativa anual média de 80 e os 85%.

    Principais recursos naturais

    A Província dispõe de abundantes recursos naturais que lhe permitem almejar um crescimento e desenvolvimento potenciado e sustentado para exploração do sector primário o que, numa primeira perspectiva, possibilitará ensaiar mecanismos de combate a carência alimentar, fazer relançar a produção e com isso, criar postos de trabalho e assim aumentar os rendimentos das populações que influenciará significativamente nas condições económicas e sociais das populações da Província.

    Junto a bacia sedimentária, na região de Ambriz, existem jazigos de minerais, como petróleo.

    Entretanto, a 25 quilómetros, à norte de Caxito encontra-se a zona com quartzo, gesso, dolomite, calcário, argila, sal mineral e outros.

    A Província do Bengo é eminentemente agrícola, com uma área arável de cerca de um milhão de hectares, cujas culturas predominantes são: a mandioca, o milho, a abatata doce, o feijão, a banana, a ginguba e a batata rena, praticada por cerca de 70% da população.

    Na região de Úcua Município do Dande, encontram-se as reservas de tórico, estanho, alumínio e berílio.